sábado, dezembro 11, 2004

O Amor

É algo que nos une, os três, Lost Fingers e Cão Afiado.
O amor à construção de algo não antes experimentado, o amor à arte na sua forma mais carnal, mais dura e, ao mesmo tempo, mais pura. A criação pelo belo, pelo original, pelo gosto de criar, não pelo de vender.
Não nos submetemos aos trâmites da sociedade capitalista, mesmo que isso signifique sair nunca do anonimato.

A arte de ser reconhecido pelo trabalho, não por modas tendenciosas e passageiras.

sexta-feira, dezembro 03, 2004

e agora algo completamente

normal. Diferente, diferente só mesmo as harmonias do nosso segundo albúm.
Algo de bom e de novo no panorama musical.
Eu atreveria-me mesmo a dizer esquizofrénico na conjugação de sonoridades, melodias e instrumentos.
Assim tentamos afirmar-nos na arte de fazer música, neste pequeno e ostracizado cantinho da europa, alias um mercado que tentaremos alcançar mais tarde, depois de conseguirmos fazer-nos ouvir nas mais diversas ambiencias possiveis, desde tascas ate ao mais reles bordel de beira da estrada, para depois atacarmos os coliseus.
Conseguimos produzir um novo conceito de música, que será recordado por incontestaveis legiões de fas, por todo o mundo, em incosciente, mas perfeito, delirio.
A intenção não era fazer música p'ras massas, mas se assim terá de ser, nada podemos fazer.


Ninguém disse que ia ser fácil.
fazer ou ouvir